O PREGADOR E O ESTUDO DA PALAVRA - Chamado ao Evangelho

Recentes

quinta-feira, 15 de outubro de 2020

O PREGADOR E O ESTUDO DA PALAVRA

  


     E impossível ser um pregador bíblico eficaz sem uma profunda dedicação aos estudos. “O pregador deve ser um estudante.” John MacArthur diz que um pregador expositivo deve ser um diligente estudante da Escritura, e João Calvino afirma que o pregador precisa ser um erudito. Charles Haddon Spurgeon diz que “aquele que cessa de aprender também cessa de ensinar. Aquele que não semeia nos seus estudos, não colhe no púlpito”. Todavia, o pregador que estuda sempre terá sermões cheios de verdor para pregar. Charles Koller afirma que “um pregador jamais manterá o interesse do seu povo se ele pregar somente da plenitude do seu coração e do vazio da sua cabeça”.

    O pastor enfrenta o constante o perigo da preguiça dentro das quatro paredes do seu escritório. A ordem do apóstolo é sumamente pertinente: “Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro de que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade”. A Bíblia é o grande e inesgotável reservatório da verdade cristã, uma imensa e inesgotável mina de ouro. John Wesley revelou o seu compromisso com a Escritura. Ele disse: “Oh, dá-me o livro! Por qualquer preço, dá-me o livro de Deus! Nele há conhecimento o bastante para mim. Deixa-me ser o homem de um só livro". Spurgeon disse a respeito de John Bunyan: “Corte-o em qualquer lugar e você descobrirá que o seu sangue é cheio de Bíblia. A própria essência da Bíblia fluirá dele. Ele não pode falar sem citar um texto, pois sua alma está repleta da palavra de Deus”.
________________________________

LOPES, Hernandes Dias. De Pastor a Pastor. São Paulo: Editora Hagnos, 2008, p. 76.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário