Cristãos devem estar preparados para perseguição em massa, diz ator Jim Caviezel - Chamado ao Evangelho

Recentes

terça-feira, 17 de novembro de 2020

Cristãos devem estar preparados para perseguição em massa, diz ator Jim Caviezel

Jim Caviezel alertou cristãos sobre a importância de se estar preparado para uma perseguição em massa. (Foto: D Dipasupil / Getty Images) 

O ator Jim Caviezel afirmou em uma entrevista recente que os cristãos deveriam estar em guerra contra extremistas seculares, declarando que esta é “uma guerra que precisa ser travada e deve ser vencida”.

“Ninguém jamais cavalgou para a vitória apoiado em chavões morais falsos. Temos que falar a verdade com ousadia”, disse Caviezel a Megan West do My Faith Votes.

Caviezel afirmou que a escravidão e o sofrimento têm sido o destino do povo de Deus ao longo de grande parte da história e disse que muitos não fazem ideia do quão abençoados foram por viver em uma sociedade onde a liberdade religiosa prevaleceu, embora agora esteja precariamente em jogo.

“Você vai desejar nunca saber o que era democracia. Esse estilo de vida cristão logo desaparecerá ”, disse Caviezel. “Estamos falando de perseguições massivas”.

O ator que interpretou Jesus Cristo no filme de sucesso “A Paixão de Cristo” disse que enquanto a Bíblia narra os assassinatos de crianças pelo Faraó e o assassinato dos Santos Inocentes, a fim de apagar as vozes de Moisés e Jesus, por meio do aborto legalizado, “Nós assassinamos em um nível sem precedentes”.

Ele observou que as mulheres agora têm permissão para matar seus bebês até mesmo depois de nascidos, em estados americanos, como Nova York e na Virgínia.

Caviezel passou a citar de memória um conhecido trecho do discurso de Ronald Reagan, de 1964, “Encontro com o destino”. O ator parafraseou algumas linhas para descrever com mais precisão a batalha em que os cristãos se encontram, focalizando os males de nossos dias atuais, como o aborto e o sufocamento da liberdade religiosa:

“Não existe um homem vivo que enviaria descuidadamente o filho de outra pessoa para a guerra, e esse é o verdadeiro problema desta campanha, que torna todos os outros problemas que tenho discutido com acadêmicos, a menos que percebamos que estamos em uma guerra que deve ser vencida”, lembrou Caviezel ao citar Reagan.

“Aqueles que trocariam nossa liberdade pela sopa dos pobres do estado de bem-estar nos disseram que eles têm uma solução utópica de paz sem vitória. Eles chamam sua política de ‘acomodação’. E eles dizem que se nós apenas evitarmos qualquer confronto direto com este inimigo, ele esquecerá seus maus caminhos e aprenderá a nos amar. Todos aqueles que se opõem a eles são acusados ​​de belicistas. Dizem que oferecemos respostas simples para problemas complexos. E ainda assim eles têm a coragem de chamar isso de ‘Escolha’”, acrescentou o ator, continuando a citação.

“Bem, talvez haja uma resposta simples – não uma resposta fácil – mas uma simples: que você e eu teríamos a coragem de dizer às nossas autoridades eleitas que queremos nossa política nacional com base no que sabemos em nossos corações é moral certo”, destacou.

“Infidel”

Caviezel estreou no mês de setembro o filme “Infidel”, que aborda a questão da intolerância religiosa no mundo.

“A perseguição bárbara aos cristãos é algo que ainda acontece hoje”, disse o ator, revelando a intenção do filme. “O objetivo seria criar um senso de urgência e relevância para os cristãos e não-cristãos que deveriam estar engajados nesta questão”.

Fonte: Guia-me com informações de Life Site News

Nenhum comentário:

Postar um comentário