PRESSÃO, VIOLÊNCIA E EXTREMISMO ISLÂMICO - Chamado ao Evangelho

Recentes

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2019

PRESSÃO, VIOLÊNCIA E EXTREMISMO ISLÂMICO

Cristãos afegãos são todos ex-muçulmanos e por isso tentam manter ao máximo sua fé em sigilo


Resultado de imagem para pressão islamica


O Afeganistão continua na 2ª colocação na Lista Mundial da Perseguição (LPM) 2019. No período de análise da LMP deste ano – de 1 de novembro de 2017 a 31 de outubro de 2018 -, cristãos no país suportaram os mesmos níveis extremos de pressão da Coreia do Norte. Em termos de pontuação, Afeganistão e Coreia do Norte têm uma pequena diferença no nível de violência. Isso é reflexo do aumento na insurgência – não apenas com a união do Estado Islâmico ao Talibã, sendo um atuante islâmico violento, mas também pelo aumento na quantidade de território do país sob seu controle.

Uma segunda razão para a alta pontuação é que a preparação para as eleições em outubro de 2018 levaram a uma situação mais volátil, onde a lealdade a tribo, clã ou religião são críticas. Essa situação tensa não deve mudar, já que eleições presidenciais estão planejadas para abril de 2019. Há cinco anos, ainda havia números significativos de cristãos expatriados no país. A maioria deles partiu, o que causou um aumento na média de pressão – especialmente nas esferas da comunidade, nacional e igreja. Nos últimos quatro períodos de análise, o nível de violência contra cristãos está estável, porém em um nível muito alto.

O Talibã e o grupo do Estado Islâmico têm uma influência crescente, mostrada pelos altos números de ataques e batalhas com forças do governo se esforçando pela supremacia em várias províncias. A nova liderança do Talibã, que está ainda mais inclinada para visão islâmica radical, tem reforçado sua campanha pelo controle de áreas. Também, a extrema violência usada por grupos relacionados ao Estado Islâmico se traduziu em um número ainda maior de pessoas sendo mortas em ataques ou desalojadas. De acordo com números da Organização das Nações Unidas (ONU), 5.122 civis foram vítimas nos primeiros seis meses de 2018, destes 1.692 foram mortos e 3.430 feridos. Além disso, o Paquistão e diversos países da Europa ameaçam mandar de volta refugiados afegãos.

O Afeganistão é pela Constituição um estado islâmico e todas as outras religiões são vistas como estrangeiras ao país, consequentemente partidos políticos e oficiais são hostis mediante a todos os sinais de cristianismo. O país não permite que qualquer afegão se torne cristão ou reconheça um convertido como tal. Conversões são vistas como apostasia e trazem vergonha para a família e comunidade islâmica. Por isso, convertidos escondem sua recém-adquirida fé o máximo possível. Cristãos com nacionalidade afegã são todos ex-muçulmanos. Se eles são descobertos, enfrentam discriminação e hostilidade (incluindo morte) pelas mãos das famílias, amigos e comunidade.

Pedidos de oração
  • Ore por coragem e proteção para os cristãos afegãos.
  • Ore por uma abertura religiosa, além do islamismo.
  • Ore por estabilidade e paz no Afeganistão.

Conheça a Sociedade Missionária Portas Abertas. Link abaixo:
www.portasabertas.org.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário